Sábado, 22 de Fevereiro de 2020
 

Projeto “Ficha do Bicho” - Conhecendo a fauna do Parque Estadual do Aguapeí

Nova Independência - O Parque Estadual do Aguapeí (PEA) é uma unidade de conservação estadual, criada pelo Decreto Estadual nº 43.269, de 02 de julho de 1998, com área de 9.043,97 hectares, abrangendo os municípios de Castilho, São João do Pau d’Alho, Nova Independência, Monte Castelo, Guaraçaí e Junqueirópolis. Nova Independência possui 2.014,46 hectares de seu território localizado no interior do parque, o que equivale a cerca de 22% da sua área total.

A vegetação nativa encontrada ao longo do Rio Aguapeí constitui um dos últimos refúgios naturais da fauna na região, abrigando dezenas de espécies animais ameaçadas de extinção no Estado de São Paulo, a exemplo do cervo do pantanal, da anta, onça parda e de grande variedade de aves aquáticas e migratórias.

A grande planície de inundação é característica do baixo rio Aguapeí, e possibilita a configuração de um ambiente muito semelhante ao Pantanal Brasileiro, localizado nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, com extensas áreas alagadas (várzeas ou varjões). Da mesma forma, diversas espécies são características do Pantanal, também habitam as planícies da nossa região, como é o caso do tuiuiú (ou jaburu), o maguari, o colhereiro e o próprio cervo. Por tudo isso, as regiões próximas à foz dos rios Aguapeí e Peixe são também conhecidas regionalmente por “Pantaninho Paulista”.

A conscientização da sociedade e sua participação nas iniciativas que objetivam a preservação do Parque Estadual do Aguapeí e das demais áreas naturais nativas são de fundamental importância para resguardar o pouco que restou dos atributos naturais da região às gerações futuras.

A iniciativa vem sendo difundida nos veículos de comunicação da região, tendo como principal objetivo divulgar toda a riqueza natural existente no Parque Estadual do Aguapeí, com imagens obtidas no parque e informações diversas sobre os animais e seus habitats.

A cada semana, a seção “Ficha do Bicho” apresentará uma espécie diferente da fauna do parque, com foto, nome científico e diversas informações sobre alimentação, reprodução, região de ocorrência e muito mais. Esse material representará importante fonte de informação para estudantes, professores e público interessado em geral, podendo ser recortado e arquivado em forma de fichas.

O projeto pretende estimular o interesse, principalmente do público infanto-juvenil, em relação aos atributos naturais da região e à importância em preservá-los.