Sexta-Feira, 15 de Novembro de 2019
 

Aluno da Fatec Araçatuba conquista bolsa de pesquisa da Fapesp

(Foto: Divulgação)

O estudante João Pedro Moura e a professora Celia Nugoli, orientadora do projeto de pesquisa aprovado pela Fundação

Projeto de jovem que cursa Análise e Desenvolvimento de Sistemas receberá recursos para criação de um site que calcula a viabilidade de biodigestores em propriedades rurais de pequeno e médio porte

O estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) Araçatuba, João Pedro Moura Novo, teve seu projeto de pesquisa aprovado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e receberá uma bolsa da instituição.

Orientado pela professora Celia Nugoli, o aluno apresentou a proposta de desenvolver um site que calcula a viabilidade da construção de biodigestores – equipamentos utilizados para reaproveitar detritos, gerando gás e adubo – em propriedades rurais.

Por meio da ferramenta tecnológica, o projeto visa proporcionar economia para pequenos e médios produtores ao incentivar a produção de energia limpa gerada pelos biodigestores. A plataforma disponibilizará a simulação do dimensionamento ideal do biodigestor, apresentando uma lista de materiais a serem utilizados em sua construção.

A pesquisa é uma atualização de um estudo realizado anteriormente, também orientado por Célia e financiado pela Fapesp. No trabalho anterior, Amanda Aguiar, ex-aluna da Fatec Araçatuba, desenvolveu um sistema que analisava a possibilidade de transformar fezes de animais em energia elétrica ou em gás de cozinha usando biodigestores. Entre as novidades dessa nova etapa do projeto está a inclusão de variáveis como o tempo de confinamento do rebanho.

A aprovação da pesquisa foi feita após análise do resumo do trabalho e da filiação institucional dos participantes. A Fapesp utiliza quatro critérios na seleção dos projetos: proposta de pesquisa (análise da pertinência, originalidade, fundamentação científica e os métodos empregados); histórico escolar acadêmico (desempenho (acadêmico, participação em projetos de pesquisas e publicações científicas); histórico de pesquisa do orientador (ter doutorado, produtividade em pesquisa na área do projeto apresentado e quantidade de horas semanais dedicadas à pesquisa); e condições institucionais (infraestrutura institucional e o grupo de pesquisa que dará suporte para o desenvolvimento do projeto).

Projeto de relevância

Para João Pedro, participar do projeto é uma grande oportunidade. "Desde que entrei na faculdade, tenho me esforçado em tudo o que eu faço, em tudo o que eu estudo. Ter sido chamado pela professora Celia para participar desse trabalho foi incrível. Fiquei muito empolgado em estruturar um site da melhor forma pra atender principalmente as pessoas que moram e trabalham no campo", ressalta.

Celia considera que a contribuição da bolsa de pesquisa da Fapesp para a ciência e desenvolvimento tecnológico é de grande relevância para o País. "Conseguir pela segunda vez aprovar um projeto em uma instituição tão importante engrandece nosso trabalho e nos estimula a buscar mais oportunidades para os nossos alunos. As bolsas de fomento à iniciação científica são disputadíssimas. Somente projetos de relevância, orientados por competentes professores e desenvolvidos por excelentes alunos, podem ser contemplados."

O período de vigência da bolsa de João Pedro é de um ano e ele deverá se dedicar pelo menos por 12 horas semanais ao projeto. A ferramenta está em fase de adaptação, com previsão de lançamento no primeiro trimestre de 2020. Os produtores rurais que desejem testar a plataforma devem entrar em contato com a orientadora por e-mail.

Sobre o Centro Paula Souza – Autarquia do Governo do Estado de São Paulo vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, o Centro Paula Souza administra as Faculdades de Tecnologia (Fatecs) e as Escolas Técnicas (Etecs) estaduais, além das classes descentralizadas – unidades que funcionam com um ou mais cursos técnicos ou integrados, sob a supervisão de uma Etec –, em cerca de 300 municípios paulistas.

Nas Etecs, o número de matriculados nos Ensinos Médio, Técnico integrado ao Médio e no Ensino Técnico ultrapassa 213 mil estudantes. As Fatecs atendem mais de 84 mil alunos nos cursos de graduação tecnológica.