Segunda-Feira, 24 de Junho de 2019
 

Itapura reajusta tarifa da água para cobrir custos e atender a lei

Gastos com energia elétrica dobraram em um ano acumulando déficit de R$ 500 mil

Itapura - Para atender a Lei de Responsabilidade Fiscal e colocar em dia a contabilidade da Prefeitura, o prefeito Jerry Jerônimo autorizou o reajuste proposto por sua equipe econômica, obedecendo segundo ele, o critério de continuar beneficiando as classes mais pobres do município com os menores valores.

Os aumentos variaram de 2% a 25% . As mudanças também aconteceram na escala da tabela. A cota mínima de consumo continua sendo 10 metros cúbicos por mês. Mudou o valor que passou de R$ 7,88 para R$ 11,00. A tarifa social para casos especiais com baixo consumo foi fixada em R$ 5,50.

A maioria da população consome em casa até 15 metros cúbicos e poderá pagar R$ 11,22 por mês. Mas acima desse volume, o preço de acréscimo será de R$ 1,50 para cada metro cúbico.

Na zona rural, onde está o povoado de Entre Rios o preço desse mesmo consumo é de R$ 19,64 sendo que para cada metro cúbico excedente o acréscimo será de R$ 3,00.

O prefeito Jerry Jerônimo tem certeza de uma coisa: “quem souber usar, não vai pagar caro”. Segundo ele, o motivo do reajuste foi o aumento de custo de operação do sistema que possui 6 poços semi-artesianos e que funciona exclusivamente com motores motivos à energia elétrica.

A mesma energia que aumentou para o consumo familiar, atingiu a Prefeitura que não teve outra saída. Os critérios de reajustes foram aprovados no ano passado pela Câmara Municipal de Itapura. “Agora é preciso que tenhamos consciência de reduzir o consumo para colaborar com as contas públicas e com o meio ambiente, já que a água é um bem finito e que corre risco”, afirmou o prefeito.

A proibição legal de que a Prefeitura desvie recursos de outros setores para cobrir aquilo que a arrecadação da água não está conseguindo pagar, fez muitos prefeitos privatizarem o serviço de água e esgoto, amargando grande descontentamento por parte da população.

Em Itapura o prefeito Jerry mantém o serviço sob administração da Prefeitura, com baixos custos para os consumidores. E ainda há um agravante porque o esgoto já está sendo canalizado e tratado, mas a Prefeitura não faz a cobrança do serviço que em cidades da região, chega ser mais de 40% do valor da água.

“Entendemos que o momento é difícil, mas contamos com a compreensão da população de Itapura, pois nossas despesas com energia elétrica saltaram de R$ 27 mil para R$ 54 mil por mês e nosso sistema de água é totalmente dependente da energia elétrica, o que fez nossos custos subirem muito; porém, com a economia de consumo, todos poderemos ser beneficiados”, afirmou o prefeito Jerry.