Quinta-Feira, 24 de Julho de 2014
 

"O povo brasileiro tem de tomar vergonha na cara e ir às ruas!”

"O povo brasileiro tem de tomar vergonha na cara e ir às ruas", afirma Presidente da Associação Nacional dos Militares do Brasil. Entrevistamos Marcelo Machado, militar brasileiro e Presidente da Associação Nacional dos Militares do Brasil (ANMB)

Prezado Marcelo, como você define "corrupção"?

A corrupção está intrínseca na cultura do Brasil, não só na administração pública, mas em todos os segmentos onde o “negócio” está envolvido. Sempre vêem o “jeitinho” de se dar bem nas comissões ofertadas para escolha de determinado produto em detrimento de outro, mesmo de maior qualidade. Na iniciativa privada este recurso praticamente acabou, estando ainda presente nos “negócios” da administração pública, onde constantemente são denunciados.

Que tipo de modelo estatal tende a acentuar os índices de corrupção?

Na verdade, o modelo pouco interfere na corrupção, já que existem órgãos fiscalizadores e mesmo assim ela é contínua, parece que todos tendem a se corromper. Creio que a opinião pública deva estar sempre bem informada para combater este mal que prejudica os que mais necessitam dos serviços prestados pelo governo. A imprensa seria a fonte de denúncias, mas, ela também está inclusa no sistema corrupto.

A corrupção ocorrente no Brasil é mais agravada que em outros países? Por quê?

A corrupção é um mal, e, como tal, está presente na natureza humana, em maior ou menor escala. No Brasil atual, ela é fonte de publicações em diversos países, não chegando ao conhecimento do eleitorado brasileiro que fica preso à propaganda do governo em horário gratuito televisivo. Diante disso, respondo que sim, no Brasil é mais grave na medida em que não há o conhecimento, sendo este disseminado somente nas redes sociais, onde, ainda poucos, tem acesso, ou não tem interesse em participar deste conhecimento.

Há soluções para a corrupção? Quais foram aplicadas com sucesso por outros países?

No Brasil, a solução é combater a corrupção, já que está enraizada em diversos setores, inclusive nos detentores do PODER/DEVER de combatê-la com a efetiva fiscalização e punição. Os exemplos italiano (Operação Mãos Limpas) e o chileno (foram tomadas medidas diversas, tais como a redução de 80% no número de cargos comissionados e a implantação de mudanças no sistema de financiamento de campanhas eleitorais), considerados um sucesso no combate à corrupção ao longo da década de 1990.

Como a cultura brasileira interfere para a prática da corrupção? Há uma interferência relevante?

A corrupção nasce do povo, que vê no “gato” na rede elétrica, na TV a cabo, na internet e na propina paga ao policial algo como um “golpe de mestre”, enaltecendo seu valor de “malandro” que se dá bem. São culpados pelas mazelas aplicadas contra eles mesmos, na medida em que não acompanham nem protestam contra as notícias de corrupção envolvendo quase toda a classe política hoje existente.

Como a corrupção pode deteriorar o Estado e a vida pública?

Deteriora sensivelmente os diversos serviços prestado pelo Estado; estamos cientes que a saúde é a mais afetada, com o povo morrendo nas portas dos hospitais onde os profissionais de saúde não dispõem do mínimo para seu atendimento. Em algumas regiões do Brasil temos ainda um povo faminto, e o governo federal doando 80 Toneladas de arroz para Cuba. Este mesmo País chamado Brasil, com a saúde moribunda, doa 1 milhão de dólares para inaugurar um centro médico em Hebron, na Palestina. Isto também é corrupção, na busca de aliados estrangeiros numa possível tomada de posição contra o que hoje se apresenta.

Como ocorreu a corrupção no período do Regime Militar Brasileiro? Qual a incidência? Como foi combatida?

A noção de corrupção dos militares sempre esteve identificada com uma desonestidade específica: o mau trato do dinheiro público. É notório que houve corrupção, mas, não na escala hoje apresentada, onde as “comissões” ultrapassam os 40%, fora os “aditivos”. Nota-se também que naquela época a arrecadação podia ser facilmente sonegada, o que hoje é mais difícil com os meios existentes para fiscalização, levando a um maior volume de capital. Nota-se também que os mais corruptos daquela época ainda estão presentes no cenário político brasileiro, vivendo como milionários às custas da miséria de seus eleitores, soma-se a isso um projeto de governo que necessita de muito dinheiro para custear suas intenções. Nenhum dos Presidentes militares se tornou um milionário como os políticos atuais, e isto é fato.

A corrupção no governo atual é maior que em tempos passados? Por que?

Como já dito anteriormente, a arrecadação de hoje é muito maior, em vista dos meios digitais para fiscalizar. O projeto de governo é se eternizar no poder, e para isso é necessária grande soma em dinheiro para distribuição a todos que possam se posicionar contra, como também buscar (com dinheiro) apoio externo em diversos países com ideologia idêntica, veja as diversas doações em dinheiro em detrimento do povo brasileiro.

Comente alguns casos notórios de corrupção, explicando como poderiam ser evitados

Não vou me ater a alguns casos notórios e sim a todos, a corrupção é continuada, não são casos. É um conjunto de governo corrupto, em que todos os segmentos se beneficiam, desde a campanha até o governar propriamente dito, onde se faz necessário comprar todos para que não haja oposição. Mais recentemente, vimos o “mensalão”, farta distribuição de verba corrupta para corruptos.

Como ocorre a corrupção nos meios públicos em geral?

Bem, no meio público, a corrupção tem várias vertentes, vai desde a captação de dinheiro até a distribuição para compra de possíveis opositores e calar a boca dos “amigos”. A captação se dá principalmente em obras grandes, onde há o superfaturamento e os “aditivos”, sem a certeza que a obra ficará pronta. Exemplo disso é a transposição do Rio São Francisco, com um custo inicialmente estimado em R$ 4,5 bilhões, a transposição agora está orçada em R$ 8,2 bilhões. A previsão de entrar em funcionamento em 2010 não pôde ser concretizada e o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, promete entregá-la em 2015. O empreendimento tem só 43% concluídos, o mesmo índice observado em 2012. Grande parte da obra se encontra em estado de deteriorização e abandono.

Comente, por favor, a corrupção nos meios militares. Como ocorre? Como é combatida? Qual a incidência?

Seria mentir eu dizer que não houve e não há corrupção no meio e no governo militar. No meio militar ela é severamente combatida, submetendo o infrator ao regulamento disciplinar e a Lei infringida, com toda a apuração que, em casos mais graves podem chegar à exclusão da Força Militar cumulativamente com a condenação penal. No governo militar também houve corrupção, já que alguns presentes no atual cenário político nacional, também estiveram presentes no governo militar.

Como os militares podem contribuir para combater a corrupção? Combater a corrupção no atual cenário não há como, vimos os condenados pelo STF se insubordinarem àquela decisão e ameaçando recorrer a Corte Internacional de Direitos Humanos, como se fosse ele uma vitima do STF. Portanto, o Brasil está fora dos trilhos, a Constituição, as Leis e as decisões da Justiça parecem não ter valor para estas pessoas e tirá-las do poder é a única maneira de restaurar a Legalidade e a efetiva Democracia. Os militares estão amarrados e nada farão sem aclamação popular, suas decisões fogem até aos assuntos pertinentes a eles, como a compra de equipamentos que ficam décadas à espera de "deci$ão” ou pela melhor comissão.

Como o índice de liberdade de imprensa afeta este combate?

Liberdade de imprensa no Brasil é um tema interessante, ela já vigora, não por cabresto legal, mas por cabresto financeiro. As grandes mídias televisivas e impressas não ousam atacar diretamente o governo em suas falhas, só apontando o que é impossível esconder. Vemos isso acontecer no Rio de Janeiro, onde o governador Sergio Cabral é inatacável, estando seus diversos crimes impunes, a mídia comprada com as diversas verbas publicitárias. Portanto, ela só caberia às redes sociais ou aos pequenos repórteres que inclusive estão sendo assassinados pelo Brasil afora. O Brasil já registrou, em 2013, o assassinato de quatro jornalistas. É o terceiro país com maior número de mortes de profissionais de imprensa no exercício da função, segundo a Press Emblem Campaign, entidade com sede em Genebra e que defende a criação de regras internacionais para proteger jornalistas em zonas de guerra.

Como a legislação em vigor interfere neste processo?

A legislação pouco interfere, pois, como já disse antes, Constituição e Leis estão sendo ignoradas, com a aquiescência dos Poderes que detém o PODER/DEVER em reprimir tais ações, o STF foi exceção quando das condenações no caso “mensalão”, mas as penas ainda não estão sendo cumpridas, estando os crimes impunes.

Quais atitudes o governo brasileiro e a população, de modo geral, deverão tomar para minorar, ainda que não se erradique, a corrupção?

Vergonha na cara! Sim, vergonha na cara. O governo não vai impor nenhum combate a corrupção, pois é quem exerce a corrupção com Plenitude, a população segue leniente não exercendo seu poder para tirar os corruptos do poder, permitindo que diversos criminosos continuem a exercê-lo em seu nome. Vejo que o povo deve ir às ruas para mostra sua indignação e não ficarem acomodados como beneficiários das diversas “bolsas” ("cala boca") disponíveis.

O que cada um, como cidadão, pode fazer para ajudar no combate à corrupção?

Se unir. As diversas reivindicações do povo brasileiro são provenientes de uma única fonte causadora, a corrupção. Falta de saúde, educação e segurança, bem como a fome e a seca são oriundas da verba que é desviada para diversas finalidades escusas, inclusive a países estrangeiros como Cuba e Palestina, em detrimento do povo sofrido e carente do Brasil.